sexta-feira, 4 de março de 2011

Palavras não dizem tudo.

"Se o acto existe, também deveria existir a palavra, As que temos encontram-se nos dicionários, Todo os dicionários juntos não contêm nem metade dos termos de que precisaríamos para nos entendermos uns aos outros, Por exemplo, Por exemplo, não sei que palavra poderia expressar agora a sobreposição e confusão de sentimentos que noto dentro de mim neste instante, Sentimentos, em relação a quê, Não a quê, a quem."

José Saramago, "O Homem Duplicado".

5 comentários:

Andressa disse...

Adorei.

Ana SS disse...

um viva aos neologismos psicóticos.

Vanessa Souza Moraes disse...

palavras sem ação são poesia morta.

Teresinha Oliveira disse...

Sábio Saramago! De repente se está a escrever e Pimba! Você se perde na luminosidade do branco absoluto. Sabe-se o que deseja dizer, e conhece diversas palavras para fazê-lo; mas nenhuma delas se encaixa perfeitamente no papel,sob sua batuta de grafite.Seu vocabulário corre e transcorre e nada. Daí se inventa, e a palavra nasce novinha, perfeita, só sua. Como as do meu amado G.Rosa, que eu, ameba escrevente, tanto admiro o gênio
e novidades. Tere

Milene Souto disse...

"Onde as palavras param os sons continuam" Robert Schumann. Adorei o seu blog, beijos.

Postar um comentário