segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Repetidas e melosas palavras de amor...

(...)

André: - Não sei de onde você tira essas idéias, Clara.

Clara: - Do mesmo lugar que você tira as suas, do pensamento. A diferença é que seus pensamentos são sempre muito vivos, mesmo sua melancolia tem um traço de vida que encanta e nos faz ter menos medo de abrir a porta.

André: - Isso não é verdade, você só acha isso porque está apaixonada por mim.

Clara: - Eu acho isso porque é a única explicação que tenho para a porta escancarada com a qual te recebo. Porque preciso sempre de explicações, sentidos, motivos, preciso organizar tudo que penso, sinto e faço. Eu normalmente só falo depois de saber exatamente o que falar e como falar. Mas contigo nada disso importa, minhas palavras bonitas, secas e corretas desaparecem e quando dou por mim só falto morrer de vergonha das repetidas e melosas palavras de amor que me acreditava incapaz de pronunciar.

4 comentários:

Andressa Harrison disse...

Ouhn, muito eu, isso.

Ana SS disse...

Clara carrega o sentido embaixo do braço, que é pra não assustar as pessoas com o seu "non-sense".
Hahaha
Acho que é de Sofia, que eu falo.

Carina B. disse...

Acho que Clara e Sofia se identificam muito, Ana, não é à toa que uma quase teve o nome da outra, rsrs.

Andressa Harrison disse...

Clara e Sofia são minhas filhas gêmeas, já disse ;)

Postar um comentário